segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Professores em 'guerra' por causa dos protestos contra o Governo

"Só se houver uma revolução é que será desconvocada a manifestação agendada pelos movimentos independentes para o dia 15." Mário Machaqueiro, da organização do protesto, mantém assim a tensão entre estes movimentos e os sindicatos que marcaram outra manifestação para dia 8. A guerra entre professores não é de hoje. Começou em Abril, quando os sindicatos assinaram um acordo com o Ministério da Educação (ME) sobre o sistema de avaliação.

As acusações entre Mário Machaqueiro, um dos organizadores e da Associação de Professores e Educadores em Defesa do Ensino (APED), e Mário Nogueira, porta-voz da Plataforma Sindical, sobem de tom. O também presidente da Fenprof não entende a razão deste protesto que diz não ser contra a política do Governo mas "anti-sindical". "Não acreditamos em coisas espontâneas. Esta manifestação, e a confusão que está a gerar, não serve os interesses dos professores", disse ao DN. Mário Nogueira diz até ter "desconfianças, que o tempo vai acabar por provar, que aqui há dedo do ME".

Afirmações que Machaqueiro considera "infelizes" e elucidativas da "contra-informação instalada". Por isso, a organização decidiu "mostrar abertura ao diálogo com os sindicatos para desanuviar o clima". O presidente da APED esclarece ainda que a marcha de dia 15 não é contra os sindicatos mas o Governo. "Mas não quer reivindicar só questões socio-profissionais." Diz ainda que "não afasta a possibilidade de integrar a manifestação dos sindicatos. Mas a nossa continua a ter sentido".

Diário de Notícias

4 comentários:

Cristina disse...

Ufa...experiência

Maria disse...

È com muita apreensão que vejo a "guerra" entre movimentos cívicos e sindicatos. Afinal só estando todos do mesmo lado é que conseguiremos fazer tremer a ministra.Onde é que pára a velha m+axima "Unidos venceremos"??. Já estou a ver , na minha escola o pessoal a dispersar...Por favor sentem-se a uma mesa e ultrapassem todas as divergencias, ou mesmo que não as ultrapassem pensem que o essencial é estarmos unidos.

Anónimo disse...

São lamentáveis as declarações de Mário Nogueira. Até paree que está fora da realidade.
ana

Anónimo disse...

O Mário Nogueira está mesmo fora da realidade Ana. Há quantos anos ele não dá uma aula? Ele só sabe o que se passa em teoria, mas quem está no terreno é que todos os dias se confronta com esta dura realidade que se abateu contra os professores.

É aqui que eu acho que uma ORDEM nos faz muita muita falta!

Prof. Sintra

EMAIL da APEDE: correio@apede.pt
  • Ligações a ter em conta
  • site da APEDE
  • A sinistra ministra
  • A Educação do meu Umbigo
  • ProfAvaliação
  • outrÒÓlhar
  • M.U.P
  • o estado da educacao
  • o cantinho da educacao
  • educação sa
  • correntes
  • movimento escola pública
  • As Minhas Leituras
  • ultimaseducativas
  • PROmova
  • educar resistindo
  • escola pública
  •